5 hits que definem a música Pop da década de 2010

A maioria das décadas na música popular foi definida por gêneros, formatos ou geografias, mas a década de 2010 pode ser talvez melhor definida por plataformas. O Spotify foi lançado nos EUA, assim como Apple Music, YouTube Music, Amazon Music e um Tidal com a marca Jay-Z, e ​​os números de streaming foram incluídos nas paradas de singles e álbuns. A mídia social quebrou muros criando linhas diretas de comunicação entre artistas e fãs, com seguidores, memes e desafios no YouTube, Instagram e, mais recentemente, no TikTok, tornando-se uma janela crucial para os fãs e os departamentos de A&R.

Como resultado, foi uma época em que a música  tornou-se verdadeiramente global e os gêneros pareciam sofrer mutações e se fundir. O latim e o K-pop se estabeleceram como os principais gêneros, a EDM entrou no mainstream. O hip-hop foi elevado a um novo nível, vendendo mais que o rock pela primeira vez, e viu subgêneros como o Trap fazendo a cabeça da moçada.

2012- Psy, Gangnam Style

Em coreano, significa “sul do rio”. É considerada a Beverley Hills da Coréia do Sul e o lar de alguns dos imóveis mais caros do mundo. Até sediou a conferência G: 20 em 2011. Mas não é por isso que você conhece Gangnam. Em 2012, o rapper coreano Psy fez esse trecho rico de Seul, tão conhecido na música pop como Londres, Nova York, Paris, Munique. O primeiro hit do K-pop que engoliu o mundo, Gangnam Style transformou Psy – a antítese do pin-up cinzelado e bonito do K-pop – em uma estrela viral em todo o mundo.

2013-Daft Punk, Get Lucky ft Pharrell Williams, Nile Rodgers

Antes de Get Lucky, Daft Punk teve uma década relativamente tranquila – seu álbum de 2005, Human After All, atraiu críticas sem brilho após o bem recebido Discovery (2001). A dupla abaixou a cabeça e passou por alguns anos … e depois ficou em silêncio. Foi apenas em 2013 que uma nova música apareceu. O Daft Punk conheceu Nile Rodgers em uma festa  em 1997 e, mais de uma década e meia depois, Rodgers seria fundamental para fazer do Get Lucky, com sabor de disco, a música do verão. As melodias sinuosas de Get Lucky são cada vez mais doces graças aos vocais de Pharrell Williams.

2015- BTS- I Need U

É o equivalente pop do Universo Marvel. Quando se trata de imergir seus fãs em um mundo manufaturado, poucas bandas podem combinar com a visão criativa das sensações do K-pop BTS. I Need U, do seu segundo álbum, The Most Beautiful Moment In Life Part 2.  O K-pop e BTS em particular  tornariam-se uma sensação não apenas no Sudeste Asiático, mas em todo o mundo.

2017- Luis Fonsi- Despacito ft. Daddy Yankee

Da Amazônia ao Círculo Polar Ártico, da Groenlândia às Galápagos, essa foi a música de 2017. Uma colaboração entre os porto-riquenhos Fonsi e Daddy Yankee  fez dessa música o maior sucesso latino desde Macarena , cerca de 20 anos antes. O que era uma música pop inofensiva de influência urbana, cantada principalmente em espanhol, tornou-se um aríete que quebrou as barreiras que impediam o pop latino de transmitir ondas de rádio em inglês; agora o chamam de “efeito Despacito”, e artistas como Demi Lovato e Camila Cabello o seguiram.

2019-Lil’ Nas X -Old Town Road ft. Billy Ray Cyrus

A versão instrumental dessa música foi lançada em 2018, obra do produtor holandês YoungKio. O rapper Lil ‘Nas X pegou as batidas  escreveu uma letra inspirada nos tempos difíceis que passava em apenas um dia. Uma versão remix com o hitmaker do Achy Breaky Heart, Billy Ray Cyrus, ajudou a impulsionar a música para a estratosfera. Old Town Road acabou marcando 19 semanas no topo das paradas americanas, um récorde.

versão traduzida do artigo da BBC- link original https://www.bbc.com/culture/article/20191220-the-songs-that-truly-defined-the-2010s

Instagram começará a pagar influencers em breve

O Instagram é frequentemente considerado o berço da cultura de influenciadores. Mas enquanto a plataforma levou alguns dos grandes influenciadores de nosso tempo à fama e fortuna na Internet, o próprio Instagram nunca pagou a nenhum dos criadores responsáveis ​​por transformar o site de compartilhamento de fotos no epicentro do boom dos influenciadores de 2010.

Historicamente, os influenciadores do Instagram monetizaram suas atividades na plataforma por meio de parcerias de marcas externas com pouco envolvimento do Instagram. Mas a cultura de influenciadores está mudando e, como suas estrelas se reúnem em plataformas como YouTube e TikTok, que tornaram mais fácil para os influenciadores ganharem dinheiro diretamente através das próprias plataformas, o Instagram está se preparando para seguir o exemplo.

No início desta semana, o Instagram anunciou vários novos recursos que permitirão aos criadores ganhar dinheiro diretamente na plataforma, incluindo anúncios no IGTV, vendas no Instagram Shopping e dicas monetárias na forma de baadges que os fãs podem enviar para seus influenciadores favoritos no Instagram Live.

Os anúncios da IGTV começarão a aparecer na plataforma na próxima semana. O Instagram dividirá a receita de anúncios com os criadores, embolsando não mais de 45%.undefined

Os usuários do Instagram também poderão oferecer suporte aos criadores diretamente com o uso de selos pagos que eles podem enviar no Instagram Live. Os selos custarão entre US $ 0,99 e US $ 4,99, com os criadores mantendo 100% do dinheiro ganho (embora o Instagram tenha dito que poderia estabelecer um contrato de compartilhamento de receita para os  selos após o término da fase de teste). Os usuários que comprarem selos receberão um, dois ou três ícones de coração ao lado de seus nomes de usuário, dependendo de quanto pagaram, o que, segundo o Instagram, tornará esses nomes de usuário mais proeminentes nos feeds ao vivo.

De acordo com Taylor Lorenz, do New York Times, essas mudanças estão prestes a “alterar drasticamente o cenário de ganhar dinheiro com influenciadores”, marcando uma nova onda de cultura de influenciadores.

versão traduzida de ‘Instagram is going to start paying influencers” link original https://www.insidehook.com/daily_brief/internet/instagram-is-going-to-start-paying-influencers

Facebook lança o Collab , aplicativo colaborativo de vídeos baseados em música





O Facebook lançou o Collab, um novo aplicativo colaborativo de criação de música e vídeos para iOS. Presumivelmente, isso já está em desenvolvimento há algum tempo, mas o Facebook diz: “À luz de tantas pessoas isoladas  em todo o mundo, aceleramos este lançamento”.

A premissa é bem simples: o Collab permite criar três vídeos independentes e reproduzi-los em sincronia, resultando em um arranjo musical completo. Você pode fazer isso adicionando suas próprias gravações ou usando outras pessoas.

Por ser um aplicativo do Facebook, há um forte elemento social; você pode publicar suas colaboração em suas plataformas de mídia social favoritas – embora pareça que elas terão que ir primeiro ao feed da colaboração – para que outras pessoas assistam, misturem e combinem mais.

Atualmente, a Collab está na versão beta – o Facebook diz que ainda há “muito trabalho para aprimorar a experiência” – e está disponível apenas para convidados. Os convites serão emitidos em lotes, indo primeiro para os EUA e Canadá.

A Triumph lança sua primeira moto oficial do agente 007

Mesmo as pessoas que nunca viram um filme de James Bond provavelmente podem nomear o carro preferido do espião: Aston Martin. Os modelos em si tornaram-se ícones, do DB5 ao DBS e ao Vanish. Mas e as motocicletas? Apesar de muitas sequências de ação gloriosas de duas rodas, elas não receberam os mesmos holofotes até agora.

Em dezembro, recebemos notícias de que a Triumph Motorcycles do Reino Unido estava em parceria com a EON Productions no No Time To Die – o 25º filme de James Bond, marcando a performance final de Daniel Craig como o agente – apresentando o Scrambler 1200 Bond Edition, uma versão em edição limitada do último modelo que está disponível ao público.

Em um comunicado de imprensa, a Triumph anunciou “a primeira motocicleta oficial já ligada diretamente à franquia Bond”, acrescentando que apenas 250 estão disponíveis para compra a partir da quantia equivalente a 18.500 dólares.

Para o design, a Triumph começou com seu Scrambler 1200 XE de ponta, como base, e depois adicionou uma reforma completa inspirada em Bond, que inclui um esquema de tinta preta , marca 007 em uma placa de escape e até uma tela de inicialização exclusiva.

Em outras palavras, embora haja algumas atualizações definitivas que os motociclistas irão apreciar, esta é uma moto para os superfãs de Bond. E porque não há escassez deles, e porque esses fãs estão procurando algo para mantê-los ocupados enquanto No Time To Die está esperando par ser lançado causa do COVID-19, há expectativa de que  as motos sejam  vendidas rapidamente.

versão traduzida de Triumph Releases First-Ever Official James Bond Motorcycle . link original : https://www.insidehook.com/daily_brief/vehicles/triumph-james-bond-motorcycle

Seus problemas acabaram : veja o novo traje que inventaram para eventos ao vivo em tempos de Covid-19

Enquanto as autoridades dos governos começam a planejar como reabrir seus estados em meio à pandemia de coronavírus, os fãs de música de todos os lugares se perguntam quando será seguro assistir a shows novamente. Embora os shows de drive-in e os espetáculos socialmente distantes pareçam alternativas sensatas a curto prazo, uma empresa se comprometeu a inventar uma solução mais abrangente.

O Production Club geralmente passa seus dias trabalhando em “palcos e experiências” para clientes nas indústrias de jogos, tecnologia e música. Depois de ver reportagens sobre pessoas inundando as praias sem proteção adequada, o estúdio criativo começou a pensar em maneiras de ajudar suas comunidades diretamente. Eles criaram o Micrashell, um traje de proteção que as pessoas podem usar em festivais e clubes de música para impedir a propagação do COVID-19 .

Em uma entrevista à NBC Los Angeles, Miguel Risueno, chefe de invenções do Production Club, disse que o Micrashell é “uma solução para unir as pessoas”, enquanto ainda se cuidam.

Um esboço do Micrashell faz com que pareça uma espécie de traje espacial listrado de neon, algo entre  Buzz Lightyear e Tron. Há um filtro N95, um sistema de ejeção de ar, uma “bolsa de ligação celular” e até caixas de encaixe para bebidas. Do ponto de vista deles, este último era uma inclusão necessária no produto. “É outra coisa para a qual você não precisa remover o capacete”, explicou Risuneo, “porque se você remover o capacete e o escudo, estará comprometido”.

Como exatamente a pessoa que não tenha muito dinheiro vai  fazer  para usar isso? Bem, de acordo com o Clube de Produção, a configuração ideal envolve locais que compram vários Micrashells, alugam-nos para clientes e depois limpam o traje após o retorno. Quando um protótipo físico estiver disponível, eles começarão a lançar o produto. Confira o vídeo promocional do Micrashell abaixo.

Versão traduzida de New COVID-19 Protective Suit Designed Specifically for Concerts and Festivals . link original https://consequenceofsound.net/2020/05/covid-19-protective-suit-music-festivals-clubs/?fbclid=IwAR3GhOn3trkazg12EfAUynCRhBsC4l1VoisuRQZCJ1S41bmnYGoq2ac5W6Y

Faleceu, há 3 anos ,Kid Vinil, um dos heróis musicais do Brasil

Antônio Carlos Senefonte, foi um cantor, radialista, compositor, apresentador de televisão e jornalista brasileiro. Ficou famoso no Rock brasileiro dos anos de 1980, quando foi vocalista das bandas Verminose, Magazine, Kid Vinil & Os Heróis do Brasil e Kid Vinil Xperience. Também foi um dos maiores incentivadores do início do movimento punk paulista ,organizando shows e tocando músicas de bandas de Punk  e Pós-Punk em seu programa de rádio.

A marca registrada de Kid Vinil era seu “visual extravagante”, com camisas de cores cítricas e calças quadriculadas, um cavanhaque ruivo e óculos pequenos.Seu apelido foi consequência desta paixão pela música. Em 1979, ele foi convidado por uma rádio para apresentar um programa de música pop alternativa.Foi como apresentador deste programa que ele adotou o “nome de guerra” Kid Vinil.

Kid Vinil foi um apelido criado em 1979 para um programa de rádio na Excelsior sobre Punk e New Wave. O nome foi bolado por mim e pelo produtor Pena Schmidt. A origem foi Kosmo Vinyl (manager do Clash) e Kid Jensen (locutor da BBC), Kid de um e Vinil do outro.

Em 16 de abril de 2017, Kid Vinil sentiu-se mal durante uma apresentação em Conselheiro LafaieteMinas Gerais, entrando em estado de coma logo em seguida. Posteriormente foi transferido para São Paulo onde morreu cerca de um mês depois, em 19 de maio, por uma parada cardíaca.  

Fonte : https://pt.wikipedia.org/wiki/Kid_Vinil

Quando eu  era  adolescente , nos anos  80, via aquela figura diferente e  diferenciada aparecendo na TV , com  a Banda  Magazine. Apesar do visual diferentão, ele tinha  um background enorme. Ser artista de verdade não é para  qualquer um. Por baixo daquela imagem exótica , havia um homem que tinha profundo conhecimento de causa do que  falava. Ele não ficava só no discurso, ia lá e fazia.

Homossexual , nunca  vitmizou-se  para aparecer na mídia, pois não precisava desse tipo de  recurso . Sua vida pessoal era discreta e as pessoas  estavam interessadas no que ele tinha  para  falar  sobre música.

Kid Vinil era um cara  com  o qual  eu gostaria de ter encontrado  para  bater  um  papo em um boteco. Amigos em comum dizem que ele  era uma presença agradável que sempre trazia boas reflexões a respeito do mercado musical. Ele sentia, como poucos,  o que acontecia no momento  e enxergava como ia ser o futuro.

Este  texto foi escrito apenas para  lembrar da existência dessa  figura  importante  para o Rock brasileiro, pois, carecemos, no momento, de artistas de verdade na grande mídia.

A nobreza  não está  no sangue, está nos  atos.

Descanse  em  paz , Kid Vinil !

35 anos de “Brothers in Arms” do Dire Straits, o álbum que impulsionou o consumo de CDs pelo mundo

“I want my MTV”, cantado em “falsetto” por Sting na música Money for Nothing  é o slogan do canal de TV que  revolucionou o mercado musical ao disseminar a cultura  do videoclip e criar um padrão a ser seguido pelos artistas que queriam divulgar seu trabalho musical junto ao público jovem.

Esse clip passava  todos os  dias  em  todos  programas  musicas  da  TV brasileira juntamente com Radio Ga Ga do Queen, Jump do Van Halen e Dancing  in the Dark do Bruce Springsteen, músicas lançadas em 1984. No Brasil,a MTV só teria sua filial brasileira no início da década de 90. Então, cada uma das  emissoras de TV  tinha seu programa de clips como, por exemplo, o Clip Clip da Rede Globo.

O clip, que navegava na onda da MTV, mostrava dois entregadores inicialmente criticando os artistas da MTV (antecipando, assim, Beavis e Butthead) Posteriormente, eles começam a entender que deveriam aprender a tocar um instrumentos  também para se darem bem na vida. O engraçado é que a letra dessa música ,nos dias de hoje, seria algo totalmente politicamente incorreto.

Lançado em 13 de maio de 1985 e coproduzido por Neil Dorfsman ( produtor dos álbuns do Sting) e Mark Knopfler, Brothers in Arms foi um dos primeiros álbuns gravados digitalmente  através da máquina de fita digital de 24 tracks da Sony. Ele ganhou o Grammy de Melhor Engenharia de som em 1986 e novamente em 2006 por Melhor Som Surround após uma reedição. Realmente, o som do álbum é diferenciado. Trata-se de uma produção fomográfica irretocável que  mereceu todo o sucesso que teve.

Cinco de suas nove faixas  foram hits  absolutos no mundo inteiro. É sempre  bom lembrar que só havia rádio e TV para veicular música para as grandes massas. Nos Estados Unidos , a MTV fazia a cabeça dos jovens. Aqui no Brasil , as coisas demoravam um pouco para chegar , mas , mesmo assim, o álbum aqueceu bastante o mercado de CDs consolidado a nova mídia como “substituto do vinil” . Brothers in Arms foi um álbum muito importante na disseminação dos disquinhos prateados.

Músicos que  gravaram o álbum

John Illsley –baixo

Guy Fletcher- teclado

Mark Knopfler – guitarra e  voz

Omar Hakim –  bateria

Michael Brecker – saxofone

Allan Clark – piano e teclado

Participações  especiais

Sting – vocal em Money For Nothing

Tony Levin- Baixo em One World

Faixa a faixa

So Far Away – música que transmite  calma, com um belo arranjo de teclado ao fundo. A letra  fala de  distanciamento (bem  atual ,  né ?)

Money for Nothing – o timbre de guitarra  é oriundo de um microfone que , sabe-se  lá por qual motivo , estava  direcionado para o chão. O riff da música  tem bastante influência de música country e  a letra já foi comentada no texto acima.

Walk of Life – Música  animada  , com clima  country , a frase do teclado criada por Alan Clark é simples  e marcante. A letra fala sobre o estilo de vida  de  um músico .

Your Latest Trick –A música  tem  um clima  legal. Apesar do clima romântico da  parte instrumental, a letra fala de um homem solitário que se encontra  com  uma prostituta que acaba roubrando a grana  do cara deixando-o pior do que já estava.

Why Worry– Balada  gostosa com um timbre de guitarra  maravilhoso. A letra fala de um rapaz  consolando sua amada dizendo-a para não se preocupar com as coisas da  vida.

Ride Across The River– músca  com  sonoridade crimbenha que  deriva  em algo parecido com  Regae. A letra  fala  de um soldado em crise existencial .

The Man’s Too Strong – começa com sonoridade acústica  para depois  ir  alternando com  instrumentos  elétricos. O contraste  entre  elétrico e acústico  simboliza a  dualidade  de um soldado entre seu lado guerreiro e sua  sensibilidade.

One World– A música conta com a participação de  Tony Levin groovando  e slapando no baixo. A letra fala de um músico em uma fase difícil  da vida em busca de dias melhores.

Brothers in Arms– música cheia de climas , com um timbre lindo da Gibson Les Paul de Mark Knopfler. Solos inspirados com muito feeling.  A letra fala  da fraternidade entre os  soldados durante a  guerra nas  Ilhas  Falklands (Ilhas Malvinas  para os  Argentinos). A música  foi  relançada  em 2007 e  toda  a renda  foi convertida para instiruições que  cuidam  de  soldados veteranos.

4 Foreshadowings de séries e filmes famosos

O foreshadowing (prenúncio em português) é normalmente usada para melhorar a experiência do público ao assistir um filme ou programa de TV.

Definição de foreshadowing : um dispositivo literário no qual um escritor dá uma dica antecipada do que virá adiante na história.

Ao longo da história do cinema e da TV, roteiristas e cineastas usaram este recurso como um meio de envolver o público com a história.De uma perspectiva de roteirista, o prenúncio pode ajudar a atrair o público, fornecendo pistas sobre o enredo e os próximos temas.Os seguintes exemplos usados ​​pelos diretores são ótimas ilustrações de prenúncios eficazes e poderosos.

Aviso : a própria natureza do prenúncio significa que há spoilers pela frente!

O Grande Truque(2006) – Christopher Nolan

“Grande Truque” é um drama de época centrado em torno de um conflito entre dois mágicos – Alfred Borden (Christian Bale) e Robert Angier (Hugh Jackman).

A história concentra-se nas concepções de magia que se desenrolam entre esses dois concorrentes. Ao longo do filme, eles desenterram as verdades sombrias por trás de sua magia.

A cena do truque da gaiola de pássaros é um momento inteligente e sutil de prenúncio.O truque mostra um pássaro em uma gaiola sendo esmagado até a morte antes que milagrosamente apareça novamente ileso.

Então,um garoto descobre o segredo do mágico e isso prenuncia o resultado da trama do filme.Robert Angier mata muitas versões clonadas de si mesmo afogando-as embaixo do palco em um tanque com água. A platéia no teatro vendo o truque está admirada por Angier aparecer após se teletransportar do tanque de água para o palco.No entanto, Angier realmente está apenas criando clones de si mesmo, não realizando um teletransporte real e deixando os clones se afogarem no tanque.undefined

Os Infiltrados (2006) -Martin Scorcese

O filme contém prenúncios muito sutis. Depois de uma segunda visualização, você poderá ver o que o “X” previsto prenuncia.

O “X” é visível ao longo do filme, perto dos personagens que morrerão. O “X” está simplesmente prenunciando a morte de cada personagem em breve na ação subsequente.Scorsese usa o “X” no enquadramento da cena, geralmente no fundo da arquitetura circundante ou como uma sombra na sala.

O “X” pretende simbolizar o fato de que, no mundo do policiamento e da multidão, cada personagem com um “X” é um homem marcado.undefined

O Iluminado (1980) – Stanley Kubrick

Perto do início do filme, Jack Torrance está em uma entrevista com o gerente do hotel no qual será contratado. O trabalho de Jack é manter o hotel durante o período de inverno, quando está fechado.

Num close médio de Jack Torrance, você pode ver que a gravata dele é verde. Olhando mais de perto, você percebe que o padrão da gravata verde se assemelha ao do labirinto no penúltimo ato final do filme. A sutil gravata verde prenuncia o labirinto como sendo o final para Jack e seu tempo no hotel.undefined

 Breaking Bad (Temporada 5, episódio 16) – Vince Gilligan

Há um pequeno indício de que Walter White vai morrer no episódio final da série Breaking Bad.

Logo no início do episódio final, Walt está olhando através do porta-luvas do carro que roubou para voltar ao Novo México, quando uma fita cassete cai. A fita cassete é “El Paso”, de Marty Robbins. A letra da música tocada no início do episódio é o que realmente prenuncia o resultado final de Walter White. Depois de colocá-lo no toca-fitas e partir, a letra pode ser ouvida:

“Eu me sentei e fui embora, andando sozinho no escuro. Talvez amanhã, uma bala possa me encontrar. Esta noite nada é pior do que essa dor no meu coração “.

A morte de Walter é prenunciada quando ele começa a andar sozinho, para resgatar Jesse Pinkman, seu ato final de redenção. A única bala que o atinge é a conclusão de sua história épica.undefined  

 

10 canções de ninar para adultos após um dia estressante-parte 1

Tive a ideia de postar músicas relaxantes no meu perfil do Facebook (facebook.com/oswaldo5150 ) e a repercussão tem sido ótima. Seguem, abaixo , as 10 primeiras música que postei.

Sailing – Christopher Cross

“Navegar é preciso , viver não é preciso .”

Fernando Pessoa, como sempre , estava certo.

“Sailing” é uma das músicas mais relaxantes que conheço

O veleiro cantado na música é uma metáfora do poder transformador da arte. Devemos deixar-nos ao sabor do vento para sentir a verdadeira liberdade.

“ The canvas can do Miracles” – este trecho mostra que o milagre da vida é uma tela em branco que nós pintamos ao longo do tempo.

Leaf and Stream -Wishbone Ash

Não consigo encontrar um adjetivo melhor para esta música do que hipnótica. Do dedilhado da intro ao maravilhoso solo, tudo é perfeito. A música traz uma sensação relaxante e reflexiva. Quando o stress toma conta, escuto esta música e a paz , mesmo que seja momentânea, vem.

Human Nature-Michael Jackson

Música escrita pelo tecladista Steve Porcaro e lançada por Michael Jackson no álbum Thriller, essa música tem uma sonoridade bem relax. Os músicos do Toto capricharam no arranjo e o mestre Quincy Jones produziu esse hit com seu famoso toque de midas .

The Logical Song –Supertramp

Apesar de não ser exatamente uma balada, a música sempre me traz uma sensação boa. Um dos motivos é a letra. Ninguém melhor que próprio o compositor para explicar.

“‘The Logical Song’ nasceu de minhas perguntas sobre o que realmente importa na vida. Ao longo da infância, aprendemos todas essas maneiras de ser e, no entanto, raramente nos dizem algo sobre nosso verdadeiro eu. Somos ensinados a funcionar externamente, mas não guiados a quem somos interiormente, passamos da inocência e maravilha da infância para a confusão da adolescência que freqüentemente termina no cinismo e na desilusão da vida adulta.

Easy – Commodores

Composta em 1977 por Lionel Ritchie, na época, integrante da banda Commodores, essa balada traz uma ótima sensação , como diz a letra :” I’m easy like a Sunday morning “

Muitas bandas regravaram esse hit , entre elas, o Faith no More.

Matte Kudasai – King Crimson

Essa música sempre me traz paz. A guitarra de Adrian Belew remete ao som de golfinhos bailando no mar. Tranquilidade total !

Masquerade – George Benson

Esse arranjo do George Benson é sobrenatural de tão relax ! São 8 minutos e 6 segundos de bom gosto e sofisticação . A música tem um arranjo instrumental primoroso , a voz melodiosa de George e seu tradicional uníssono de voz e guitarra .

Lovin’ You -Minnie Riperton

A música já começa com som de pássaros cantando . Logo, entra a voz aguda , afinada e macia de Minnie que nos cativa na primeira nota. Aos 56 segundos e em outros trechos , ele canta uma nota altíssima que é sua marca registrada.

Follow You , Follow Me -Genesis

Essa música não foi originalmente concebida como single.

“Inicialmente”, explica Mike Rutherford, “era apenas um riff que eu tinha. Tony Banks então colocou alguns acordes por trás disso, e algumas mudanças realmente incomuns. Poderia ter sido parte de uma música longa.

“Nunca fomos realmente bons em escrever músicas curtas”, diz ele, apesar de termos crescido “com os Beatles, The Kinks e The Small Faces como inspiração”.

Nada mal para quem tentou fazer “música comercial ” pela primeira vez , né ?

Aja- Steely Dan

Faixa título do álbum lançado em 1977, esta música mostra toda a sofisticação harmônica e melódica da banda . Tudo se encaixa milimetricamente, proporcionando uma sensação gostosa no ouvinte, como se estivesse deitado em uma nuvem

Saudade dos papos analógicos

Tá  bom, sei que  você vai dizer : “lá vem o Oswaldo com mais  um texto saudosista sobre  memória afetiva  e bla bla bla.”

Fazer o quê? Esse distanciamento social é a oficina do saudosismo. Já lí várias matérias  falando que o aumento de plays  de álbuns antigos  aumentou muito no Spotify porque o povo quer lembrar daquela época na qual tudo era estável e mais tranquilo. O mundo estava  em ritmo acelerado e, quando apareceu o Covid -19, o caos voltou a reinar.

Outro dia, vagando pela internet , deparei-me com a imagem de uma loja de equipamentos de  som dos anos 80 . Lembro que entrávamos nessa  lojas só para  viajar nas luzinhas e botões dos aparelhos e, logicamente, escutar quele som analógico de alta qualidade.Pena que as novas gerações nunca terão oportunidade de passarem por esta experiência .undefined

Como eu era adolescente na época, ingênuo como sempre, sonhava em comprar um potente equipamento quando fosse adulto. Entrar em uma loja era como estar na Disneylândia: luzes piscando, globo de espelhado no teto e  o som do vinil rolando solto. Muitos vendedores sabiam que garotos como eu não entravam para comprar equipamentos caros, mas sempre rolava um papo legal sobre música e, quem sabe, a partir daquela conversa, poderia sair uma venda futura. Às vezes, eu entrava na loja só para comprar uma simples agulha para a vitrola, mas antes de pagar pelo acessório, passeava pela  loja conferindo as novidades em equipamento. Acabava que eu sempre conhecia alguma banda nova cuja música estava  tocando na loja.

Era uma viagem !

undefined

O simples fato de ir comprar uma fita K7 era pretexto para entrar na loja e  discutir sobre a vantagem da fita “chrome”em relação à fita convencional. Havia uma grande variedade de marcas e sempre rolava umas discussões malucas sobre o mito das fitas de 90 minutos serem piores do que as de 60 minutos. Como era tudo analógico , havia milhões de variáveis quando a assunto  era  gravar uma simples fita.  Essas  variáveis é que faziam parte da magia , pois  sempre ficava aquela impressão de que tal fica  ficou mais bem gravada que outra. O ato de ficar escutando e comparando as fitas fazia parte do ritual de encontrar com  amigos e bater aquele papo prazeroso com diálogos do  tipo :

Fulano -A fita Maxell Normal Bias ficou melhor que a Basf Chrome2

Beltrano-Mas o equipamento na qual a Maxell foi gravada  era melhor.

Fulano-Na próxima vez, vamos  gravar as duas  no mesmo equipamento para ver o que acontece.

Conversas assim duravam a tarde toda deixando na gente  a expectativa de um novo encontro para comparar as  gravações. Bons tempos !