O divertido passatempo da troca de listas”Top 10″ com os amigos

Em época de distanciamento  social, começamos a inventar atividades para passar o tempo e evitar o tédio. Um dos meus passatempos preferidos é fazer listas. Isso gera muito  papo  entre  os  amigos e faz o tempo passar de forma prazerosa.

Fazer lista estilo “Top 10” é algo muito sério, pois isso nos faz refletir sobre tudo que vivemos em relação a um determinado assunto. Por exemplo : experimente fazer uma lista  sobre os dez álbuns musicais mais importantes na sua vida. Não é tarefa  fácil , principalmente , se você, como eu, for músico. Bate aquela responsabilidade de refletir sua personalidade musical através dos álbuns escolhidos.

Dá um frio na barriga danado!

Dez discos parecem  pouco, mas, para quem, como eu, tem mais de 40 anos, é muita história envolvida: memória afetiva que mistura sons, imagens e,em alguns casos,aromas. O ato de fazer uma lista pode levar-nos a uma jornada de autoconhecimento. Vamos lembrando de várias passagens de nossas vidas e lembrando de músicas marcantes.

O gosto musical da gente vai evoluindo, ficamos mais exigentes com o tempo e ,quando pensamos em álbuns, a coisa complica, pois começamos a pensar não só na música, mas  na qualidade da gravação, na capa e tudo fica mais complexo. O resultado disso é que começamos a subdividir as  categorias. Quando vamos falar de Rock  dos anos 70 ,por exemplo, acabamos  subdividindo  entre álbuns com músicas boas e som ruim e  álbuns  em geral.

 Isso faz uma baita diferença !

Muitas vezes, deixamos de escutar determinada música porque a gravação está tosca. Algumas bandas  como Pink Floyd e  Led Zeppelin sempre  estão nas  listas  de  melhores  dos  anos  70 pela qualidade musical  e  capricho em suas masterizações.

Outro critério digno de listagem é a capa do disco. O termo “disco” pode parecer arcaico em tempos de streaming , mas, quando vemos a capa em mídia física, principalmente vinil, notamos que a arte  era muito  importante. Há empresas como a Hipgnosis que fazia capas diferenciadas  para  bandas  e  também não podemos  esquecer do Rogear Dean, que,até hoje, faz capas pra  bandas como Yes e Uriah Heep.undefined

Passar horas discutindo com os amigos as diferenças entre as listas é um grande  barato, principalmente se todos estiverem bebendo uma cerveja simultaneamente (mesmo que seja online, pois, com o distanciamento social, não dá pra reunir em um boteco).  O papo flui e acho que reside aí a grande finalidade das listas : gerar discussão. Vamos examinando minunciosamente o assunto, vendo os prós e contras de cada álbum, etc. Esta discussão interminável é um combustível para nossaa imaginação que, muitas  vezes, faz a gente voltar no tempo. Trazer à tona essas boas lembranças é algo muito saudável que fazemos quando estamos conversando com os amigos.

Após muito refletir, segue abaixo o meu Top 10 de álbuns de estúdio de bandas de Rock.

  1. Argus –Wishbone Ash
  2. Slide it In –Whitesnake
  3. Under Lock and Key – Dokken
  4. Out of the Cellar- Ratt
  5. Balls  to the Wall – Accept
  6. Piece of Mind- Iron Maiden
  7. Screaming for Vengeance -Judas Priest
  8. Balance –Van Halen
  9. Heaven and Hell- Black Sabbath
  10. Lovedrive-Scorpions

Texto escrito por Oswaldo Marques

Facebook: https://www.facebook.com/oswaldo5150/

site : https://questionassom.com/

Instagram: @oswaldoguitar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s