O dilema do artista entre a neutralidade e o posicionamento ideológico.

Quando comecei a escrever este  texto , o primeiro personagem que mei veio à cabeça foi o Chacrinha , que  adorava  repetir uma frase maravilhosa:

“Eu vim para confundir , não para explicar”

O apresentador do carnavalesco programa  televisivo, sempre genial , estava à frente de seu tempo: ele atirarava bacalhau para a platéia majoritariamente feminina que , entrando na brincadeira, disputava o peixe como se fosse um buquê de noiva.

Sobre  a  frase supracitada , acho q Chacrinha já sabia que o mais importante não era fazer sentido, era entreter. O cidadão comum, ao chegar  em casa ,não quer ver um programa de TV ou escutar  uma música para receber uma lição de moral , ele quer apenas algo que o entretenha. O “Velho Guerreiro” não se preocupava  com o que os intelectuais pensavam sobre  ele.

Agora , entro com o tema  deste texto, que é um dilema para  alguns artistas : fazer mero entretenimento ou panfletar , de forma explícita, sobre determinada ideologia. Sim, o assunto é polêmico . Tenho  minha opinião sobre o assunto e vou dizê-la agora,já que trabalhei com artistas panfletários e  com aqueles  q se preocupam apenas com  sua  arte. Portanto , tenho experiência para apresentar os resultados de ambas estratégias de marketing. Prefiro falar  sobre os dois tipos de perfil  separadamente.Vamos lá.undefined

 Artista “neutro” que se preocupa  apenas  em  gerar conteúdo e divertir as pessoas.

Este tipo de artista sempre procura aperfeiçoar suas habilidades e possui amplas possibilidades de divulgação de seu material, pois  está  focando apenas em sua arte  e em como divulgá-la. Por não limitar-se a dissseminar determinada ideologia , possui um público amplo. Ele agrada ao público em geral que busca apenas entretenimento.

Alguns intelectuais gostam desse  perfil de artista , mas  a maioria não assume gostar, pois o mesmo é muito querido pela “plebe rude” e , no meio intelectual , curtir um artista do povão  não colabora com a construção de uma imagem intelectualmente superior.

Artista que faz questão de defender uma determinada ideologia como estratégia  de marketing.

Possui público mais limitado, já que seleciona seus fãs ao dizer algo que pode ser desagradável para muita gente. Este  tipo de artista tende a ter uma grande quantidade de haters. Alguns acreditam que a estratégia do “falem mal , mas falem de mim” ainda funciona no mundo de hoje.

Esta estratégia funciona bem para  artistas já consolidados, pois  eles   já possuem relevância e a mídia gosta de repercutir suas palavras como forma de gerar factóides com os quais o veículo de comunicação  e o artista se destacam. Este artista agrada àqueles intelectuais que gostam sempre de problematizar o mundo.

Concluindo, não quero dizer aqui que o artista deve ter o perfil A ou B para se dar bem. Estou apenas mostrando  o que tem acontecido com os perfis. Cabe ao artista escolher qual caminho  quer seguir tendo em mente o público a ser conquistado.

Texto escrito por Oswaldo Marques

Facebook:  https://www.facebook.com/oswaldo5150/

Instagram : @oswaldoguitar

Site: www.questionassom.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s