Tom Sawyer : a mágica conexão entre McGyver e o Rush

Falar sobre uma música da qual temos memória  afetiva  é sempre  algo prazeroso. Preciso ,antes de tudo , contextualizar minha relação com “Tom Sawyer” para você, leitor(a), entender a natureza mágica desta música para mim.

O ano era 1986, eu tinha 14 anos e estava descobrindo  o  Rock and Roll. Importante ressaltar que vivíamos em uma sociedade analógica aquí no Brasil : não havia internet nem smartphones e todas as informações chegavam um pouco  atrasadas para nós. Pesquisei e descobrí que a série McGyver : profissão perigo  começou a ser exibida em terras  tupiniquins em 6 de janeiro de 1986 na Rede Globo , mas não me lembro  ao certo de quando ví o primeiro episódio. Cabe lembrar também que , naquela época , a Globo dominava absoluta a audiência no país inteiro. undefined

Bom, vamos  ao  que realmente interessa , que é minha relação com a música Tom Sawyer do trio canadense Rush. Não sei quem  teve a sacada genial de fazer uma vinheta de abertura própria no Brasil  utilizando a intro de TS (sigla do título da música para os mais íntimos) , mas a vinheta  caiu como um luva para o clima dinâmico da série. O impacto em mim foi enorme, pois aquela bateria do Neil Peart junto ao riff pesado de Alex Lifeson me pegou de jeito. Aquilo ficou em minha cabeça e fui logo pegar o violão , pois ainda não tinha guitarra própria , para , de ouvido , tocar o riff. Importante dizer que esta intro foi meu primeiro contato  com o som do Rush e está  aí a importância da série para o público roqueiro do Brasil, pois a vinheta “aplicou”  o trio canadense em muitos adolescentes como  eu. Como muitos outros jovens , fui tocado pelo poder sonoro de Tom Sawyer. Demorei um tempo para saber de quem a música era até que , um roqueiro conhecido , no meio de uma conversa sobre a série do McGyver , disse que tinha uma cópia em LP do Moving Pictures. Imediatamente, pedí o disco emprestado para escutar o álbum completo e gravar uma fita K7. A experiência de escutar a música na íntegra e as outras músicas do Moving Pictures foi reveladora : descobrí o som do trio , que soava como um quarteto e , às vezes, até como quinteto. Virei fã do Rush e comecei a pesquisar  sobre  os  álbuns  anteriores da banda.

Moving Pictures foi lançado em 1981 e, além de ser o álbum mais vendido do Rush , ele representa um ponto de virada(entre vários outros pontos do  trio), que iniciou com o álbum Permanet Waves, de 1980. Tom Sawyer é uma marca registrada para nós “, diz o guitarrista do Rush Alex Lifeson. “Musicalmente, é muito poderoso, e liricamente ela tem um espírito que ressoa em muitas pessoas  ao redor do mundo. É uma espécie de hino. “Nós começamos a escrever  de forma mais econômica “, diz Lifeson. O resultado foi que o single, The Spirit of Radio ,de 1980, é uma tour de force compactada em menos de cinco minutos. Letra e música se encaixam perfeitamente com esta abordagem mais direta. Neil Peart, o autor de todas as letras do Rush desde 1975, já tinha encontrado inspiração na mitologia e ficção científica, mas para  as  músicas do álbum Permanent Waves foram escritas com assuntos mais mundanos.Tom Sawyer é a cristalização desta nova forma de compor: uma  mistura de Hard Rock com Progressivo e  uma  mensagem profundamente filosófica.

“Estruturalmente, a forma como a música se desenvolve é muito interessante, indo desde o primeiro verso até a ponte, depois , temos o solo e, em seguida, repetimos algumas partes”, diz Lifeson. “Não era uma estrutura típica para nós até o momento.”

Estávamos ensaiando em uma pequena fazenda fora de Toronto. Metade do celeiro era uma garagem e metade era um pequeno espaço de ensaio. Nós, geralmente,  fazíamos uma jam e desenvolvíamos as músicas dessa forma “.Era alto verão quando do Rush escreveu as músicas do Moving Pictures. Mas no momento em que começamos a gravar o álbum no Le Studio em Morin Heights, Quebec , onde a banda tinha gravado Permanent Waves, estávamos no meio do inverno canadense.

“Foi o inverno mais rigoroso que presenciei em minha vida, isso é certo”, disse Lifeson. “Nós estávamos vivendo em uma casa ao lado do lago, e o estúdio ficava do outro lado do lago. Se fôssemos corajosos o suficiente, nós caminharíamos através da floresta. A paisagem era  bonita,mas a  temperatura era menos 40 graus lá fora. O vídeo promocional para Tom Sawyer, gravado no Le Studio, começa com uma visão desta paisagem  e termina com uma panorâmica incluindo o lago congelado.

A letra da música

Um poeta e letrista, Pye Dubois trabalhou com a banda Max Webster, banda  vizinha do Rush. As duas bandas tinham laços estreitos e chegaram a gravar uma música juntos, Battle Scar, lançada em  1980 no  álbum Universal Juveniles da Max Webster. “Esses caras eram grandes amigos nossos”, lembra Lifeson. “Mas Pye era um pouco misterioso,um sujeito estranho, mas escreveu grandes letras. Por volta de 1980,  enviou um poema para Neil com uma idéia para colaborar em uma música. O projeto original foi chamado Louie The Warrior “.

O poema foi baseado no romance As Aventuras de Tom Sawyer de Mark Twain, lançado em 1876, que todos os três membros do Rush tinham estudado na escola. Peart identificava-se com temas centrais do livro como rebelião e independência. Nos álbuns 2112, Freewill to Kings e Permanent Waves, a individualidade era um tema recorrente nas letras de Peart. O que Dubois  havia criado em Louie The Warrior era, nas palavras de Peart, “um retrato de um rebelde dos dias de hoje”. Lifeson diz: “Neil pegou a idéia central do texto , tirou algumas das linhas de Pye e acrescentou coisas dele.” Peart escolheu o título “ Tom Sawyer” e completou a letra com elementos autobiográficos.

Publicado por Oswaldo Marques

Moro em Belo Horizonte, MG , sou um músico que curte trocar idéias e questionar sobre tudo que acontece no mundo da música.

3 comentários em “Tom Sawyer : a mágica conexão entre McGyver e o Rush

    1. Lembro que , no mesmo ano , saiu o álbum 5150 do Van Halen , que tornou-se , imediatamente, meu álbum favorito da banda. Anos depois , saiu o Balance ,que ganhou o posto definitivo de álbum favorito. Ainda vou escrever sobre isso….kkkk . Voltando a falar sobre Rush, escutar o Moving Pictures foi algo que abriu minha cabeça e me fez pesquisar sobre a discografia da banda, mas o meu álbum preferido do trio é o Fly by Night.

      Curtir

  1. Memórias afetivas são as melhores,profissão perigo e a inteligência do protagonista da série. A música impactante são deveras inesquecíveis que não viveu perdeu.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: