Dados, fatos e análises da indústria da música em 2019

É hora de analizar os  dados da indústria fonográfica e concluir o óbvio : a música sertaneja,no ano de 2019, canibalizou os outros estilos musicais no Brasil. Não há indicadores d saturação, notícia ruim para aqueles q entendem que o bom mercado , assim  como a  a natureza, é aquele que possui diversidade em seu ecossistema. Seguindo a tendência de anos anteriores , o streaming está em franco crescimento. Vejam os dados abaixo.

No Brasil, o faturamento do setor  de streaming aumentou 38% em um ano e hoje representa 69,5% do total. No resto do mundo, o streaming cresceu 34% e hoje representa 46,9% das receitas da indústria da música. Segundo o Global Music Report, no mundo existem 255 milhões de assinantes das plataformas de streaming, como Spotify, Deezer e Apple Music. Uma parte dessas receitas também vêm da publicidade nesses serviços e no Youtube.

O mercado de mídia física prosseguiu com sua tendência de queda. No mundo, esse segmento caiu 10% em receitas , no Brasil, a queda foi ainda mais vertiginosa: 69%O mercado físico teve um declínio muito acentuado desde o meio dos anos 2000 no Brasil. A razão é um setor de varejo muito deteriorado.Não se encontra mais lojas de música. Livrarias e lojas de departamento, que serviam de escoamento para a distribuição, continuam vendendo, mas com cada vez menos espaço. Isso se reflete no crescimento do setor digital brasileiro, acima da média mundial.

Isso acontece porque existe uma demanda longamente reprimida para o mercado de streaming no Brasil. A quantidade de aparelhos conectados à internet é muito grande, entre smartphones, tablets, PCs, etc. Isso cria para o setor de streaming, que tem um modelo de negócio muito atrativo para o consumidor, uma situação favorável: oferecer com preços relativamente baixos qualquer música do mundo. Isso propicia para o mercado brasileiro um potencial que dificilmente se vê em outros mercados que já estão mais amadurecidos.

Em relação aos  álbuns mais ouvidos  no mundo em streaming, vemos o domínio  do Rap , mas temos artistas Pop também. Pela lista , notamos que o único album  de Rock  é a trilha do filme “Bohemian Rhapsody” que nada traz de novo , pois são músicas manjadas do Queen.

Top 10 álbuns mais ouvidos do mundo em 2019

When We All Fall Asleep , Where do We Go ?- Billie Eilish

Hollywood’s Bleeding – Post Malone

Thank u, next – Ariana Grande

No.6 Collaborations Project – Ed Sheeran

Shawn Mendes – Shawn Mendes

Bohemian Rhapsody – Queen

Beerbongs & Bentleys – Post Malone

Free Spirit – Khalid

7 EP – Lil Nas X

Dont Smile at Me – Billie Eilish

No Brasil , como citado anteriormente, vemos o domínio total do Sertanejo , o aspecto interessante é que metade dos álbuns no top 10 são gravações  ao  vivo. As duas únicas  excessões  ao Sertanejo  são Melim , que  é Pop, e Dilsinho  que é uma mistura de pagode com Pop e toques de Sertanejo.

Top 10 álbuns mais ouvidos do Brasil

Todos Os Cantos, Vol. 1 (Ao Vivo) – Marília Mendonça

O Embaixador (ao Vivo) – Gusttavo Lima

Esquece o Mundo Lá Fora (Ao Vivo) – Deluxe – Zé Neto & Cristiano

Tem Moda Pra Tudo – Matheus & Kauan

Melim – Melim

Menos É Mais – Henrique & Juliano

Terra do Nunca (Ao Vivo) – Dilsinho

Reflexo – Deluxe (ao Vivo) – Maiara & Maraisa

Por Inteiro – Felipe Araújo

Acústico de Novo – Zé Neto & Cristiano

Pelo que vemos , o cenário do mainstream musical no Brasil está cada vez mais homogênio. Bom apenas para aqueles que curtem sertanejo.

Um comentário sobre “Dados, fatos e análises da indústria da música em 2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s